Dicas da Lu

quarta-feira, 20 de março de 2019

IMAGINE DRAGONS, BAD LIAR

 
Oh, hush, my dear, it's been a difficult year
And terrors don’t prey on innocent victims
Trust me, darlin', trust me darlin'
It’s been a loveless year
I'm a man of three fears
Integrity, faith and crocodile tears
Trust me, darlin', trust me, darlin'
So look me in the eyes, tell me what you see
Perfect paradise, tearin' at the seams
I wish I could escape, I don't wanna fake it
Wish I could erase it, make your heart believe
But I'm a bad liar, bad liar
Now you know, now you know
That I'm a bad liar, bad liar
Now you know, you’re free to go
Did all my dreams never mean one thing?
Does happiness lie in a diamond ring?
Oh, I’ve been askin' for
Oh, I’ve been askin' for problems, problems, problems
I wage my war, on the world inside
I take my gun to the enemy's side
Oh, I've been askin’ for (trust me, darlin')
Oh, I've been askin' for (trust me, darlin') problems, problems, problems
So look me in the eyes, tell me what you see
Perfect paradise, tearin' at the seams
I wish I could escape, I don't wanna fake it
Wish I could erase it, make your heart believe
But I'm a bad liar, bad liar
Now you know, now you know
That I'm a bad liar, bad liar
Now you know, you're free to go
I can't breathe, I can't be
I can't be what you want me to be
Believe me, this one time
Believe me
I'm a bad liar, bad liar
Now you know, now you know
That I'm a bad liar, bad liar
Now you know, you're free to go
Oh
Please believe me
Please believe me
Compositores: Aja Volkman / Benjamin Arthur McKee / Daniel Coulter Reynolds / Daniel James Platzman / Daniel Wayne Sermon / Jorgen Michael Odegard
Letras de Bad Liar © Universal Music Publishing Group, Warner/Chappell Music, Inc

terça-feira, 12 de março de 2019

OS DIAS DO ABANDONO DE ELENA FERRANTE, DA EDITORA DOM QUIXOTE

Os dias do abandono, publicado em Abril de 2014 pela Editora Dom Quixote, foi a minha primeira leitura de Elena Ferrante, autora que já me tinham aconselhado para ler o livro 'A amiga genial'.
Não estava nada à espera do tipo de escrita e embora seja muito absorvente pela densidade psicológica, fiquei curiosa para ler outros livros da autora.
A narrativa é contada na primeira pessoa de Olga com 38 anos, casada com Mário, mãe dos pequenos Gianni e Ilaria, dedicada exclusivamente à família por necessitar acompanhar o marido na sua experiência profissional internacional. Otto é o cão lobo da família, cujo destino origina a viragem psicológica de Olga, determinante para o curso dos acontecimentos.
Toda a história decorre em Turim, na casa, prédio e parque da zona onde Olga reside.
Naquela cidade Olga não tem apoio familiar apenas amigos comuns com Mário.
O antagonista da história é Mário, que a determinada altura abandona a esposa e os filhos não revelando os motivos.
Mergulhamos então no universo psicológico de Olga, primeiro procurando perceber o porquê, numa fase inicial ainda expectante do regresso do marido a casa, que aparecia pontualmente para ver os filhos.
Na sua infância Olga havia assistido a um caso semelhante e aos efeitos devastadores e trágicos para a esposa 'abandonada'.
Supostamente essa referência deveria servir como alavanca para Olga ultrapassar a situação em que se encontra, sem emprego e com os dois filhos a cargo.
Contudo Olga, começa a descer numa espiral de desespero ao aperceber-se que Mário poderá ter outro relacionamento.
Procura nos amigos as respostas que procura mas em vão.
Quando descobre com quem Mário se encontra, entra numa espiral de desespero, com pensamento obsessivos de tal ordem, que os dias parecem sem nexo e sem rumo, chegando até a descurar de si, da casa e dos filhos.
Outro personagem que surge na história é Carrano, um vizinho músico, que não apreciava Mário e que ameaçava a vida de Otto como represália. Carrano acaba por se envolver na história.
Assistimos ao longo da história ao desenrolar dos dias e pensamentos e ações aobcessivas de Olga, bem como às suas tentativas de ultrapassar o furacão de sentimentos em que se encontra.
Num dia que mais parecia um filme de terror para Olga em que esta se sente a enlouquecer, sem noção da realidade, Otto (o cão de Mário que trazia desconforto a Olga por esse motivo) desperta em Olga a viragem dos seus sentimentos e o ponto de partida para o curso da história.
Olga nunca amara Otto até então. Mas algo fez com que através de Otto, Olga começasse a recuperar a autoestima e um propósito. Não viver para Mário, num processo depressivo por causa do abandono, mas descobrir-se a si e viver para os seus filhos.
Uma história dramática sobre as escolhas e suas consequências, a perda, como gerir emoções, os processos depressivos em que facilmente qualquer um pode entrar, e a necessidade de um gatilho para o ponto de viragem emocional, a importância da autoestima.
Muito drama a par de uma grande densidade psicológica nesta narrativa:
"Os dias do abandono remete para a atmosfera e densidade da figura de mulher na tragédia grega, um romance intenso e visceral, uma queda vertiginosa de cortar a respiração, num relato que prende e arrasta para o fundo mais negro e mais doloroso da experiência feminina. O amor é o início e o fim de tudo."
Já leram este livro?
Qual a vossa opinião?


ISBN: 9789722025607
Edição ou reimpressão: 04-2004
Editor: Dom Quixote
Idioma: Português
Dimensões: 160 x 240 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 224
Tipo de Produto: Livro Classificação Temática: Livros em Português > Literatura > Romance

SINOPSE:
Depois de quinze anos de casamento, Olga é abandonada por Mario. Presa ao cotidiano estilhaçado com dois filhos, um cachorro e nenhum emprego, ela se recusa a assumir o papel de poverella (a “pobre mulher abandonada”). Essa opção a projeta num turbilhão de obsessões, angústias e ímpetos violentos, capazes de afastar Olga do fato de que as derrotas precisam ser assumidas para que a vida possa enfim seguir adiante.

SOBRE A AUTORA:
Ninguém sabe quem é Elena Ferrante e os seus editores originais procuram manter silêncio absoluto sobre a sua identidade. Houve até quem suspeitasse que se trata de um homem; outros dizem que nasceu em Nápoles e viveu na Grécia e em Turim.
A maioria dos críticos considera-a a nova Elsa Morante, uma voz extraordinária que provocou um terramoto na narrativa dos últimos anos. O sucesso de crítica e público reflete-se em artigos publicados em jornais e revistas como The New York Times e Paris Review.
A saga composta por A amiga Genial, História do Novo Nome, História de Quem Vai e de Quem Fica e História da Menina Perdida está destinada a tornar-se um clássico da literatura europeia do século XXI.
"Não me arrependo de meu anonimato. Descobrir a personalidade do escritor através das histórias que propõe, das suas personagens, dos objetos e paisagens que descreve, do tom da sua escrita, não é mais nem menos que um bom modo de ler." Elena Ferrante numa entrevista via mail para Il Corriere della Sera.

sábado, 2 de março de 2019

FILME DA SEMANA: VICE

Assisti a este filme há uma semana e só agora pude passar por aqui para deixar o registo.
Ganhou o óscar para a melhor caracterização, que considero merecido, pois o ator Cristian Bale está irreconhecível no papel em que retratou o político Dick Cheney ao longo dos factos determinantes da sua vida que se encontra conectada inevitavelmente ao contexto geopolítico mundial das últimas décadas.
Este filme autobiográfico traduz-se num drama real sobre os bastidores da política norte-americana, desde o início da carreira de Cheney como estagiário, chefe de gabinete, secretário da defesa até o seu papel crucial durante a Presidência George W. Bush e a forma como 'na sombra' da Vice-Presidência influenciou o destino de milhões de pessoas na América e em todo o mundo.
Sobre o poder e como o mesmo pode ser exercido de uma forma muito mais determinante por alguém que se encontra em segundo plano.
Sobre como o sentido de oportunidade aliado à inteligência e a um profundo conhecimento burocrático influenciaram a geopolítica da época, com consequências determinantes no curso da história.
Pontuado por pequenos apontamentos de humor que do meu ponto de vista e dada a seriedade dos factos, não é totalmente conseguido (a não ser a alusão à pesca ou a um hipotético final), este filme mostra as escolhas deste homem, o papel determinante da ambição da sua esposa nas suas motivações, bem como a forma como eventualmente terão sido geridos os conflitos familiares, designadamente a homossexualidade de uma das suas filhas.
Interessante, do ponto de vista da representação e da caracterização, quanto aos factos do endurecimento da política externa Norte-Americana no pós 11-09-2001, estes falam por si.

"Cheney foi Chefe de Gabinete da Casa Branca na década de 1970, membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos pelo Wyoming entre 1979 e 1989 e Secretário da Defesa dos Estados Unidos entre 1989 e 1993. Neste último cargo é de salientar o papel que desempenhou entre 1990 e 1991 no conflito bélico desencadeado pelo Iraque devido à invasão do Kuwait. Dirigiu todos os acordos e alianças prévias à Guerra do Golfo, conseguindo que o rei Fahd da Arábia Saudita permitisse a instalação de bases militares em Daharan, e em 1992 assinou um acordo de segurança entre os Estados Unidos e o emirado do Qatar, onde instalou o comando central das tropas dos Estados Unidos estacionadas na região do Golfo Pérsico.
Cheney terá sido figura-chave na elaboração dos argumentos sobre uma conexão entre o regime de
Saddam Hussein e a Al-Qaeda, assim como a existência de armas de destruição em massa no Iraque. Desde 11 de setembro de 2001, tal ideia dominou as relações dos EUA com o resto do mundo e levou às invasões do Afeganistão e do Iraque - bem como à tortura
, que Cheney aprovou e defendeu".


Título original:Vice
De:Adam McKay
Com:Christian Bale, Amy Adams, Steve Carell, Sam Rockwell, LisaGay Hamilton, Tyler Perry
Género:Comédia Dramática, Biografia
Classificação:M/14
Outros dados:EUA, 2019, Cores, 132 min.

Nascido em Lincoln (Nebraska, EUA), a 30 de Janeiro de 1941, Dick Cheney inicia-se na política na década de 1960. Começando como estagiário do congressista William A. Steiger, durante a administração de Richard Nixon, junta-se, pouco tempo depois, à equipa de Donald Rumsfeld, de quem se tornará muito próximo nas décadas seguintes. Entre os anos 1975 e 1977 serve como chefe de gabinete de Gerald Ford. Em 1989, é nomeado secretário da Defesa pelo então Presidente George H.W. Bush, cargo que vem ocupar até 1993. Em 2001, vai trabalhar para a outra administração Bush, desta vez assumindo o cargo de vice-presidente durante os anos de governação de George W. Bush. Nesta função, fica conhecido pelo seu papel determinante em importantes decisões relacionadas quer com a política interna, quer externa.
Um filme biográfico, escrito e realizado por Adam McKay ("O Repórter: A Lenda de Ron Burgundy", "Filhos e Enteados", "A Queda de Wall Street"), que se debruça sobre aquele que é ainda hoje considerado o mais poderoso vice-presidente da história dos EUA. Com Christian Bale no principal papel, "Vice" conta com Amy Adams, Steve Carell, Sam Rockwell, Tyler Perry, Alison Pill, Lily Rabe, Jesse Plemons e Justin Kirk a interpretar as personagens secundárias. Foi nomeado para oito Óscares, entre os quais Melhor Filme, Melhor Argumento Original, Melhor Actor Principal (Bale, que conquistou o Globo de Ouro na mesma categoria) e Melhor Actor Secundário (Rockwell).

domingo, 24 de fevereiro de 2019

A CASA DE VERÃO DE JUDE DEVERAUX, DA BERTRAND EDITORA

A minha última leitura foi uma obra de ficção de Jude Deveraux, A casa de Verão, editada em Junho de 2018 pela Bertrand Editora.
Já saíram entretanto mais dois livros desta autora que estou curiosa por ler.
A leitura fluiu muito bem e retrata o universo pessoal das três personagens principais, Ellie, Leslie e Madison que se haviam conhecido aos 18 anos no Departamento de viação de Nova Iorque quando esperavam pelos documentos.
Nessa altura partilham as suas experiências e  naturalmente, as expetativas de futuro.
As suas vidas decorreram sem que se tivessem mantido contacto ou encontrado.
Passados 22 anos, quando Ellie, que se tornara uma escritora de renome, se vê a braços com uma depressão fruto das circunstâncias da vida, a sua psicóloga oferece a Ellie uma estadia na sua casa de verão sugerindo que Ellie se encontre com Leslie e Madison, com o propósito de partilharem as suas experiências de vida com o intuito de Ellie compreender que nenhuma vida é perfeita e que há que seguir em frente recuperando expetativas, sonhos e esperanças.
Assim, somos transportados para os dias passados numa casa de verão no Maine e que acabam por transformar a vida destas três mulheres.
Ali celebram o seu 40º aniversário juntas.
A narrativa oscila entre as vozes de cada uma destas três personagens, que vão descrevendo o lugar idílico, o encontro, a partilha que vai acontecendo aos poucos à medida que ganham confiança e a grande aventura que mudará as suas vidas.
São histórias de vida com realizações e frustrações.
As personagens encontram-se numa fase em que necessitam de um ponto de viragem nas suas vidas, encontrarem-se, recuperarem o que eram, a sua essência, um propósito e serem felizes.
Mergulhamos então na história pessoal de cada uma das personagens partilhada com as demais durante a estadia.
Eis que a história sofre uma viragem quando vão comprar os presentes de aniversário e encontram em todos os sacos um cartão de uma 'Madame Zoya' que promete 'mudar o passado'.
Em jeito de brincadeira procuram a Madame e mergulham numa experiência fantasiosa/ficção científica onde cada uma escolhe uma data no passado onde pretende regressar e mudando as suas escolhas, experimentam o curso dos acontecimentos que as suas vidas teriam tomado.
Decorridas as três semanas, podem escolher a vida que viveram ou a nova vida, apagando as memórias ou recordando ambas as vidas.
Neste ponto o livro foi uma surpresa pois não contava com esta possibilidade em jeito de ficção científica.
Conhecemos então os momentos chave escolhidos pelas três personagens e o rumo que as suas vidas teriam fruto de diferentes escolhas.
Todos nos questionamos 'e se?'. 
Este livro aborda os cenários do rumo dos acontecimentos fruto de diferentes escolhas.
Leslie escolhe manter a sua vida atual mas encontra-se de novo, recupera aquilo que era e reanimada por uma nova energia altera a sua forma de estar.
Madison e Ellie decidem viver a escolha da nova vida e encontram a felicidade perdida.
Um livro sobre escolhas e a reinvenção necessária que a determinada altura da vida todos necessitamos. O encontro com aquilo que fomos, a nossa essência. O recuperar de um propósito e esperança.
Uma leitura leve e interessante, com uma mensagem muito positiva.
Já leram?
 
ISBN: 9789722535311
Edição ou reimpressão: 06-2018
Editor: Bertrand Editora
Idioma: Português
Dimensões: 148 x 233 x 23 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 344
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros em Português > Literatura > Romance

SINOPSE:
Alguma vez quiseste mudar o passado?
Três melhores amigas estão prestes a fazer quarenta anos, todas no mesmo dia. Decidem assinalar o aniversário juntas numa casa de verão no Maine, a conversarem sobre a vida e o amor, os seus desejos e escolhas. Mas nenhuma delas poderia adivinhar o que as espera: a oportunidade de tornar o «como podia ter sido» em realidade.
Leslie, Madison e Ellie conheceram-se dezanove anos antes, no mais improvável dos lugares: na fila do departamento de Viação de Nova Iorque. Desde esse dia memorável em que as três faziam vinte e um anos, tornaram-se um trio de amigas íntimas. Agora que se reúnem para o quadragésimo aniversário, cada uma recebe um estranho cartão de «Madame Zoya», que lhes oferece a oportunidade de uma vida: reviver três meses do passado à escolha de cada uma…


SOBRE A AUTORA:
Jude Deveraux é autora de uma vasta obra, com mais de 30 títulos publicados, que marcam regularmente presença na lista dos livros mais vendidos do New York Times, incluindo First Impressions, Carolina Isle, Holly Always, Wild Orchids, Forever and Always, The Mulberry Tree, The Summerhouse, Temptation e Secrets. Os seus livros, bestsellers em vários países, já venderam mais de 50 milhões de exemplares em todo o mundo. 
Jude Deveraux nasceu em 1947 em Fairdale, Kentucky. Licenciou-se em Arte na Universidade de Murray. Foi professora durante alguns anos, antes de se dedicar exclusivamente à escrita. Atualmente vive na Carolina do Norte.